Faixa de Gaza

confronto

Conflitos com forças de segurança já deixam 500 feridos
14 de Maio de 2018

EUA inauguram embaixada em Jerusalém sob graves confrontos

Faixa de Gaza

EUA inauguram embaixada em Jerusalém sob graves confrontos

Conflitos com forças de segurança já deixam 500 feridos

A inauguração da Embaixada dos Estados Unidos em Jerusalém no dia em que o Estado de Israel comemora 70 anos de criação acontece em meio a protestos, nesta segunda (14). Autoridades palestinas afirma que pelo menos 41 manifestantes morreram e pelo menos 500 ficaram feridos nos confrontos entre grupos palestinos e forças militares israelenses. Desde 30 de março, os palestinos protestam na fronteira entre a Faixa de Gaza e Israel pelo direito dos palestinos de voltarem para os locais de onde foram removidos após a criação do Estado de Israel, em 1948. As manifestações fazem parte da chamada “Grande Marcha de Retorno”. O presidente norte-americano, Donald Trump, não vai até a cerimônia de abertura da embaixada. A filha de Trump, Ivanka Trump, e o genro e assessor, Jared Kushner, já estão no local. Trump fará apenas um discurso por vídeo. Em dezembro do ano passado, o presidente norte-americano reconheceu Jerusalém como capital de Israel. Para quase toda a comunidade internacional e para as Nações Unidas, a capital israelense é Tel-Aviv. A atitude de Trump revoltou o mundo árabe, principalmente os palestinos. Neste domingo (13), alguns países boicotaram um evento do Ministério das Relações Exteriores de Israel para celebrar a inauguração da Embaixada dos Estados Unidos. Entre os países que não foram ao evento estão Espanha, Reino Unido, França e Itália.
6 de Abril de 2018

LULA NÃO É CONSIDERADO FORAGIDO; PF NEGOCIA PARA QUE PETISTA SE APRESENTE

PRAZO VENCIDO

LULA NÃO É CONSIDERADO FORAGIDO; PF NEGOCIA PARA QUE PETISTA SE APRESENTE

AGENTES NÃO DEVEM ENTRAR NO SINDICATO DOS METALÚRGICOS PARA EFETUAR PRISÃO

Após o fim do prazo determinado pelo juiz federal Sérgio Moro, o ex-presidente Lula não é considerado foragido. A assessoria de imprensa da Justiça Federal no Paraná esclareceu que Moro concedeu a oportunidade de ele se entregar à Polícia Federal e, por isso, mesmo após as 17h, ele não é tratado como foragido da Justiça. O presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais, Luís Antônio Boudens, que se reuniu hoje (6) com o superintendente da Polícia Federal no Paraná, delegado Maurício Valeixo, explicou que Lula não é considerado foragido porque não há componentes de fuga. “A condição de foragido é específica. Tem que haver componentes de fuga, de rejeição de apresentação. Terminou o prazo para que ele se apresente voluntariamente. Como não aconteceu, o mandado será cumprido.” Boudens se reuniu com o superintendente para pedir reforço na segurança dos agentes que devem cumprir o mandado de prisão do ex-presidente. Segundo ele, a ordem de prisão do juiz Moro foi muito rápida e não houve tempo hábil para que os policiais planejassem a execução do mandado. “Para a nossa avaliação, foi uma surpresa esse mandado. Apesar de avaliarmos que os ritos legais foram seguidos, nós vimos uma celeridade no procedimento padrão que o TRF4 vem adotando. Essa celeridade tem aspectos positivos e negativos. Não sob o ponto de vista processual, mas sob o ponto de vista do cumprimento e da execução. Nós temos que estar preparados para que tudo transcorra da melhor forma possível”, disse. Segundo Boudens, outro assunto discutido na reunião com o superintendente foi a manutenção dos serviços à população na sede em Curitiba, como a expedição de passaportes. “Nossa preocupação apresentada aqui para o superintendente foi de manter todos os serviços para não prejudicar nem os policiais nem os cidadãos que buscam o serviço da Polícia Federal”, acrescentou. Negociação O delegado da Polícia Federal Igor Romário de Paula informou que a instituição negocia com a defesa de Lula para que ele se apresente. O delegado disse que a intenção é evitar confrontos, já que o ex-presidente está no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC cercado por apoiadores. Igor de Paula acrescentou que é remota a chance de a Polícia Federal entrar no sindicato para prender o ex-presidente. (ABr)