Pedro Luiz Rodrigues

Paulo Rabello de Castro, pré-candidato

Paulo Rabello de Castro, pré-candidato

Apresentamos hoje (10.5) o  perfil do ex-presidente do IBGE e do BNDES Paulo Rabello de Castro, mais um dos que pretendem se candidatar às eleições presidenciais de outubro próximo.

Propõe esta série reunir dados básicos dos pré-candidato(a)s, nas esferas profissional e política, buscando identificar suas prioridades e seus valores.

Para dar “vida” a esses dados, incluímos na parte final manifestações recentes, favoráveis ou contrárias, que sobre o(a) candidato(a) tenham sido publicadas na imprensa, sendo fornecida a indicação da fonte.

Terei o prazer de publicar outras informações pertinentes que queiram fornecer os pré-candidatos e pré-candidatas sobre temas relacionados às suas respectivas pré-candidaturas.

Observação: Conheço o pré-candidato desde a infância, já que fomos colegas de colégio nos antigos ciclos primário e ginasial. Nosso contato foi mais intenso no fim da década de setenta e início dos anos oitenta, quando ele foi redator-chefe da revista Conjuntura Econômica – editada pela Fundação Getúlio Vargas – e eu repórter especial de economia e finanças n’O Estado de São Paulo/Jornal da Tarde.

Para ler os  artigos já publicados desta série sobre os pré-candidatos Aldo Rebelo, Álvaro Dias, Jair Bolsonaro,  Ciro Gomes, Cristovam Buarque,  Fernando Collor, Flávio Rocha, Geraldo Alckmin,  Guilherme Boulos, Henrique Meirelles, João Amoêdo, Manuela d’Ávila, Marina Silva  e Rodrigo Maia,  acesse o seguinte endereço:

http://www.diariodopoder.com.br/artigos_autor.php?i=Pedro%20Luiz%20Rodrigues

****

PRÉ-CANDIDATO PAULO RABELLO DE CASTRO

Nome completo: Paulo Rabello de Castro.

Nasceu no Rio de Janeiro (RJ), em 4 de janeiro de 1949. Idade: 69 anos.

Profissão: Economista, bacharel em Direito.

Formação: Graduado em Economia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), em 1971. Graduado em direito pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Mestre e Doutor pela Universidade de Chicago.

 

Filiações partidárias:

Partido Verde-  PV  (2002-2010), Partido Novo (2016-2017), Partido Social Cristão – PSC (2017- presente).

 

Posições Manifestadas:

Simplificação do atual “pandemônio” de regras tributárias.

Necessidade de ampla e profunda reforma tributária, com gradual redução da carga de impostos.

Urgência da reforma da Previdência.

Fortalecimento do BNDES.

Extinção do Ministério da Fazenda (funções seriam transferidas para o Tesouro Nacional).

Governo com doze ministérios e oito secretarias nacionais.

 

Carreira política e profissional:

-Redator-chefe da revista Conjuntura Econômica da FGV.

1993 – Fundador e presidente do Instituto Atlântico  (entidade de pesquisa e desenvolvimento em tecnologia da informação, sem fins lucrativos). Sede em Fortaleza, CE.

1993 –  Sócio-fundador da SR Rating, primeira empresa brasileira de classificação de riscos de crédito.

1994-1996 –  Presidente da Academia Internacional de Direito e Economia (AIDE).

-Professor titular no Curso de Doutorado da Escola de Pós-Graduação em Economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV, nas cadeiras de Economia Agrícola, Economia Regional e Urbana e Economia da Informação).

– Criador e coordenador do Grupo de Informação Agrícola no Instituto Brasileiro de Economia (IBRE) da FGV.

– Conselheiro do Conselho de Economia da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo – FIESP.

– Fundador da ONG Instituto Maria Stella, que já formou mais de dois mil alunos carentes na iniciação à informática como ferramenta de estudo e trabalho no Mato Grosso.

– Presidente do Conselho de Planejamento Estratégico da FECOMERCIO/SP.

– Criador e editor da revista especializada Agroanalysis;

– Fundador da empresa de análises de mercado RC Consultores.

– Colaborador do  Instituto Millenium, organização que defende valores liberais na economia.

–  Membro do Comitê de Gestão do Grupo de Líderes Empresariais (LIDE).

2011 – No Instituto Atlântico criou o Movimento Brasil Eficiente e percorreu o Brasil dando palestra e seminários, principalmente em favor da simplificação tributária.

– Co- coordenador do Movimento Brasil Eficiente (MBE), iniciativa que prega maior eficiência na gestão pública e racionalização de estrutura tributária.

2016 (22/6) – 2017 (1/6)– Presidente do IBGE.

2017 (1/6) – 2018 (7/4) – Presidente do BNDES.

Contribuiu para diversas mídias, como colunista e comentarista, entre as quais o Folha de São Paulo, Época, Jovem Pan e blogues de opinião

 

Registros na imprensa:

29.4.2018 – “O maior inimigo é a política tributária. Um manicômio completo. Os mais pobres pagam mais do que os ricos. É possível reverter essa situação. Simplificar. Sete tributos é um contrassenso bestial, um suicídio da produtividade. Temos de “des-suicidar” o país. Não basta fazer um ajuste cosmético, como tem sido feito. A reforma tributária tem de ser como o  Plano Real, para colocar dinheiro para o trabalhador e gerar emprego, de forma tão radical como aconteceu no Brasil quando acabamos com a hiperinflação paraalcançar a estabilidade”. (Entrevista ao JB).

29.4.2018 – “A Reforma Fiscal, inclusive dos gastos de custeio hoje descontrolados, somada à uma reforma previdenciária bem bolada, feita de uma maneira positiva e inteligente, vai gerar um impacto, já a partir de 2019, garantindo cerca de 5% ao ano de crescimento do Brasil. Com esse gatilho, vamos nos surpreender muito com o crescimento do país. Além disso, para crescer, é preciso investir mais”. (Entrevista ao JB).

29.4.2018 – “Hoje, 72,2% do sistema bancário inteiro no Brasil são apropriados para o financiamento estéril do setor público, restando míseros 27,8% para o financiamento das empresas e das famílias. A taxa de investimento no Brasil é muito baixa, cerca de 15% em relação ao PIB” (Entrevista ao JB).

17.4.2018 –  “ (…) Paulo Rabello de Castro prometeu, se eleito, extinguir o Ministério da Fazenda. Com 1% nas pesquisas de intenção de voto, o economista afirmou que o ministro da Fazenda hoje se senta nas mesas de negociação apenas para “falar abobrinha” e tem como principal função tirar dinheiro do contribuinte brasileiro. (…)  “O ministério da arrecadação se transformou num biombo para pensar no futuro de seu ministro. (Agência Estado).

1.2.2018 – “O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Paulo Rabello de Castro, foi um dos alvos das investigações da Polícia Federal sobre supostas fraudes em investimentos no fundo de pensão Postalis, dos funcionários dos Correios. Ele prestou depoimento e sua residência foi alvo de busca e apreensão”. (Agência Brasil).

20.10.2017 – “A filiação de Rabello ao PSC causou estranheza entre os amigos. Apesar da afinidade no campo econômico — a sigla se posiciona como liberal —, o partido sustenta um discurso conservador no aspecto comportamental, que não combinaria com ele”. (Roberta Paduan, revista Exame)

20.10.2017 – “A relação de Rabello com a política é bem anterior à atuação partidária. Ele elaborou vários planos de governo para o antigo PFL (atual DEM).” (Roberta Paduan, revista Exame)

16.10.2017 – “ O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Paulo Rabello de Castro, afirmou (…) que concorrer à Presidência da República é um “sonho de consumo”. Recém-filiado ao PSC, o economista tem buscado desconversar quando indagado sobre suas intenções eleitorais. (Entrevista a Carolina Freitas, Valor).

 

Principais entrevistas:

Entrevista a Roberta Paduan, revista Exame (20.10.2017):
http://www.afbndes.org.br/vinc1270/rabello_de_castro_exame.pdf

Entrevista à Bandnews (28.8.2017):
http://bandnewstv.band.uol.com.br/videos/programas/giro-business/16299710/paulo-rabello-de-castro-presidente-do-bndes-pa

Entrevista à Rádio Jovem Pan (1.6.2017):
https://www.youtube.com/watch?v=B3wm7rN-1q8

Entrevista a M.Martín, do jornal espanhol El País (1.6.2017):
https://brasil.elpais.com/brasil/2017/06/01/economia/1496269039_017065.html

 

Publicações:

– “Lanterna na Proa” (2017) que reúne artigos em ocasião do centenário de Roberto Campos.

– “O Mito do Governo Grátis: o mal das políticas econômicas ilusórias e as lições de 13 países para o Brasil mudar” (2014).

– “Galo Cantou! A conquista da propriedade pelos moradores do Cantagalo” (2011).

–  “Panorama Fiscal no Brasil, Proposta de Ação” (2010).

–  “A Crise Financeira Internacional” (2009).

–  “A Grande Bolha de Wall Street” (2008). –  “Tributos no Brasil: Auge, Declínio e Reforma” (2008).

– “Tributos no Brasil: auge, declínio e reforma” (2008).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *